Tempo Estimado de Leitura: 2 minutos

Um vídeo comercial da Calvin Klein estrelando a modelo Bella Hadid tem gerado bastante polêmica junto a comunidade LGBTQ+. A nova campanha da Calvin Klein, traz a modelo Bella Hadid beijando a “robô” Lil Miquela.

No vídeo de 30 segundos, a CK diz que a influenciadora virtual de 19 anos “borra as linhas” entre o real e virtual. Em determinado momento, Bella aparece narrando: “A vida é sobre abrir portas, criar novos sonhos, que você nunca soube que poderiam existir”.

O vídeo é parte da nova campanha Eu Falo a Minha Verdade com #MyCalvins, protagonizada por vários artistas da atualidade que compartilham narrativas pessoais sobre autoexpressão. No entanto, o beijo entre as duas personalidades não foi visto com bons olhos por parte da comunidade LGBT, que acusou a marca de queerbaiting, que é quando há uma estratégia de marketing com teor homossexual, com a finalidade de atrair o público LGBTQ+, mas sem a verdadeira intenção de representa-lo.

Toda a polêmica girou em torno de Bella. Ela namora o cantor da grupo The Weeknd e nunca se declarou bissexual ou queer.

Entre as personalidades da campanha, há pessoas LGBT: o cantor gay Troye Sivan, Indya Moore (atriz e ativista não binária) e o rapper Kevin Abstract. Nomes conhecidos como Shawn Mendes, Billie Eilish, A$AP Rocky e Kendall Jenner também revelam suas narrativas na série de imagens.

Em comunicado publicado no Twitter, a marca norte-americana reconheceu que o material pode ser interpretado como queerbaiting, mas, até o momento, a campanha segue no ar. Leia na íntegra:

O conceito para nossa última campanha, #MyCalvins, é promover liberdade e expressão para uma ampla variedade de identidades, incluindo o espectro de gênero e identidades sexuais. Esta campanha específica foi criada para desafiar normas convencionais e estereótipos na publicidade. Neste vídeo particular, nós exploramos as linhas borradas entre realidade e imaginação.

Entendemos e reconhecemos como uma pessoa que se identifica como heterossexual em um beijo homossexual pode ser percebida como queerbaiting. Como uma companhia com uma longa tradição de lutar pelos direitos LGBTQ+, certamente não foi nossa intenção deturpar a comunidade LGBTQ+. Nós nos arrependemos sinceramente por qualquer ofensa que causamos.