O início deste ano esta sendo bapho, atrás de bapho, e na tarde desta terça-feira (13), uma notícia atingiu a internet, e derrubou forninhos. Tudo porque a famosa youtuber e blogueira de maquiagem, Nikkie de Jagger, conhecida como NikkieTutorials, em um ato de muita coragem, se assumiu mulher transgênero, em vídeo postado em seu canal, que possui 12,5 milhões de inscritos em seu canal.

O vídeo é super emocionante, com Nikkie afirmando que odeia rótulos e que tinha medo de contar essa parte de sua vida publicamente, mas se sentiu “livre o suficiente” para contar a verdade para seus fãs.

“Quero contar algo sobre o que me faz ser eu mesma. Mal posso acreditar que vou fazer isso agora, mas é hora de realmente ser livre. Quando eu era jovem, nasci no corpo errado. O que significa que sou transgênero.”

Ela comentou que sempre se identificou como mulher, desde quando tinha seis anos de idade. “Quando eu tinha 19 anos, já havia feito a transição completa. Eu mudei enquanto já estava no YouTube.”

O canal da youtuber conta com mais de 1,1 bilhão de visualizações e 12,5 milhões de inscritos. No Instagram ela tem mais de 13 milhões de seguidores. O canal do YouTube está no ar desde que ela tinha 14 anos.

Ao longo do vídeo, a blogueira conta como é a relação dela com seu namorado e sua mãe. Nikkie conta que, “confiar em alguém sempre foi assustador”, então ela só contou a história para Dylan, seu namorado, quando se sentiu segura. Segundo a youtuber, o namorado se chocou mas logo entendeu e “se importou com o que valia a pena”.

Sobre sua mãe, Nikkie conta uma história interessante, já que, segundo a influenciadora, ela sempre sentiu que teria uma filha. Desde a gravidez, sua mãe sabia que estava esperando uma filha, mesmo os médicos afirmando o contrário.

A blogueira de maquiagem conta também que foi muito chantageada por pessoas anônimas que sabiam da verdade.

Após perceber-se com um gênero diferente do que lhe foi atribuído ao nascer, uma pessoa transgênero passa a enfrentar uma verdadeira luta para viver sua identidade. Especialmente no Brasil, onde casos de transfobia são recorde mundial.