Em 2020, é quase impossível dissociar Robert Downey Jr. do Homem de Ferro, seu personagem entre 2008 e 2019. Isso acontece graças ao Marvel Cinematic Universe (Universo Cinematográfico da Marvel, em tradução livre), que fechou sua 3ª fase em 2019, com o filme “Homem-Aranha: Longe de Casa”, dirigido por Jon Watts e escrito por Chris McKenna e Erik Sommers.

No mesmo ano, o filme “Vingadores: Ultimato”, que reúne diversos personagens famosos da franquia, como Hulk, Homem-Aranha e Viúva Negra, arrecadou a maior bilheteria de todos os tempos, com US$ 2,8 bilhões acumulados em todo o mundo. Ao todo, os 23 filmes lançados ao longo dos últimos 11 anos totalizaram mais de US$ 22 bilhões em bilheterias.

Esses personagens, hoje tão famosos nos filmes e séries da Marvel Studios, foram desenvolvidos em histórias em quadrinhos da editora Marvel Comics, criada em 1939. São essas sagas e fases diferentes que inspiram os filmes e dão fôlego ao MCU, que entra em sua 4ª fase neste ano, com o lançamento do filme solo da Viúva Negra, marcado para estrear entre abril e maio de 2020. A entrada de novos personagens deve acontecer em novembro, quando “Eternos” entra em cartaz.

Em busca de novos leitores, a editora lançou, em 2007, o aplicativo “Marvel Unlimited”, disponível para iOS e Android. Nele, há todos os quadrinhos da empresa disponíveis para compra, como uma espécie de loja online, com preços mais acessíveis do que as versões físicas encontradas nas livrarias.

Outra alternativa é a área destinada aos quadrinhos gratuitos, que, em geral, são as primeiras edições das sagas, para que o leitor possa entrar na história e, então, decidir por comprá-la ou não. A sessão recebe atualizações mensais. Edições como “O imortal Hulk nº 1”, escrito pelo roteirista Al Ewing e desenhada pelo brasileiro Joe Bennett, e “Fabulosos X-Men nº 101”, que dá início à “Saga da fênix negra”, estão disponíveis.

Todas as histórias em quadrinhos publicadas no aplicativo estão em inglês e, de acordo com Federação Internacional de Associações de Bibliotecas, pode ajudar quem deseja aprender o idioma, já que as frases curtas acompanhadas por imagens ajudam no processo de aprendizagem e de interpretação.

Ter as histórias em quadrinhos disponíveis para leitura no celular é uma alternativa para quem deseja ler alguma coisa no transporte público, por exemplo, e está sem um livro físico. No entanto, é preciso estar atento também ao que acontece ao redor, já que ambientes públicos requerem mais atenção para manter a segurança e evitar possíveis furtos ou perda do aparelho.