Em muitos colégios, tanto da rede pública, quanto privada, o ano letivo começa no final de janeiro e início de fevereiro. Muito além do que comprar materiais novos e uniforme, a volta às aulas também é o momento ideal para fazer um exame oftalmológico.

Cerca de 20% das crianças em idade escolar apresentam problemas de vista, segundo levantamentos do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO). Logo, a realização de exames contribui para um rápido diagnóstico de um possível problema visual, que, consequentemente, pode vir a afetar o rendimento escolar de forma direta, caso precise utilizar uma armação de óculos de grau.

Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), a miopia — que é um dos problemas visuais mais comuns — já alcançou o patamar de epidemia em alguns países. Em 2019, a entidade previu que, em 2020, cerca de 35% da população mundial pode sofrer com o problema, e, em 2050, esse número pode chegar a 52%. Sendo assim, é necessário destacar a importância das crianças serem avaliadas por um médico oftalmologista, já que, por vezes, elas podem não identificar a existência de um problema por conta própria e nem informar os responsáveis que há algum incômodo nos olhos.

Garota negra de oculos estudando

Pais e professores devem se atentar aos possíveis sintomas

Entende-se que, quanto mais cedo detectar o problema, as chances de tratamento são maiores. Logo, pais e professores precisam ficar de olho no comportamento de crianças e adolescentes, pois eles podem apresentar alguns sintomas.

A visão é responsável por cerca de 70% do contato humano com o mundo exterior. Por isso, seu nível de rendimento escolar pode cair quando há algum problema de vista, como, por exemplo, para enxergar possíveis palavras na lousa. Como consequência disso, a pessoa pode passar a forçar mais a vista para enxergar com mais clareza durante a leitura de algo ou até mesmo para assistir televisão. Além disso, é recomendado acompanhar se a criança se aproxima demais aos objetos para identificá-los ou se os olhos lacrimejam com mais frequência.

Dores de cabeça na região frontal também são sintomas, especialmente para quem passa horas em frente a telas (computador, televisão, videogame) e deixa a vista mais cansada. Por isso, é importante limitar o uso conforme a idade — crianças com até dois anos devem evitar o uso. Sendo assim, incentivar brincadeiras externas e ao ar livre também é uma forma de evitar problemas de vista e colabora para estimular a visão à longa distância.