Autora do best-seller “Anatomia de um excluído”, a autora Andrea Portes tem como forte característica de seus textos um humor sarcástico e esperto, além de toneladas de citações de cultura pop. Em “Liberdade”, ela conduz o leitor habilmente por um thriller de espionagem juvenil com uma protagonista inteligente e mordaz – que parece sempre estar numa  divertida conversa informal com o leitor –, e ainda cheio de referências de bandas, filmes de arte e muita política internacional.

Na trama, Paige Nolan é uma jovem extraordinária: aos 17 anos, fala diversas línguas, é faixa preta em diferentes categorias de luta e tem uma consciência política bem acima da média. Isso ela aprendeu com os pais, jornalistas e ativistas acostumados a denunciar violações de direitos humanos pelo mundo. Os dois morreram durante uma missão na Turquia, ou pelo menos isso é o que Paige acredita, já que os corpos nunca foram encontrados.

Quando ela decide bancar a heroína numa lanchonete e derruba dois brutamontes com as próprias mãos, acaba chamando a atenção de uma agência de espionagem secreta. A missão designada para ela: encontrar Sean Raynes, um de seus heróis, que agora vive na Rússia, e descobrir que informações confidenciais ele anda escondendo.  Sean foi o homem responsável por expor técnicas inconstitucionais de espionagem usadas pelo governo americano – qualquer semelhança com a história de Edward Snowden não é mera coincidência. Apesar de resistente à ideia de trair o homem a quem admira, ela acaba aceitando, já que a tal agência alega ter informações privilegiadas sobre seus pais, que ainda estariam vivos.

Assim, depois de um treinamento intensivo, Paige embarca para a Rússia em sua primeira missão. Além da narrativa de thriller que prende o leitor, a autora capricha no humor em observações hilárias sobre o comportamento e a cultura russa e americana, e seus contrastes. Em meio a amizades surpreendentes, lealdades duvidosas e a perseguição da máfia russa, a protagonista vai desafiar suas convicções.

 

TRECHO:

“Sabe quando nos filmes eles inserem uma sessão de treinamento com uma balada poderosa tocando alto durante uma montagem cheia de testosterona? E quando mostram o protagonista fracassado, meio gorducho, batendo numa carcaça de cava em algum freezer cheio de carne em local não revelado? E quando ao final de três minutos ele simplesmente meio que emerge como Hércules? Bem, isso é porque na verdade mostrar alguém treinando por um longo período de tempo, ou qualquer período de tempo para falar a verdade, é tão empolgante quanto assistir à grama crescer. Mesmo se for para uma agência secreta de inteligência do governo. Risque isso. Especialmente se for para uma agência secreta de inteligência do governo.”

 

LIBERDADE
(Liberty)

ANDREA PORTES

Tradução: Alda Lima
Páginas: 336
Preço: R$ 44,90
Editora: Galera | Grupo Editorial Record

DEIXE SEU COMENTÁRIO