Em boletim de ocorrência registrado na sexta-feira, 31, uma mulher alegou ter sido estuprada pelo jogador Neymar,  em Paris, no dia 15 de maio. O relato foi feito na 6ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM).

Segundo reportagem do UOL, Neymar conheceu a mulher pelo Instagram e, por meio de um homem chamado Gallo, ela teria sido convidada a ir à França.

De acordo com o B.O., Neymar chegou embriagado no Hotel Sofitel Paris Arc Du Triomphe, onde a mulher estava hospedada. O jogador teria ficado agressivo e praticou sexo sem consentimento.

Com medo e abalada, ela não fez registro da crime na capital francesa.

Tentativa de defesa prejudica ainda mais Neymar

Para se defender da denúncia, o atleta mostrou, em um vídeo de sete minutos publicado no Instagram, as fotografias, nudes e vídeos que a moça compartilhou com ele via WhatsApp, cometendo o crime previsto no artigo 218-C do Código Penal de “oferecer, trocar, disponibilizar, transmitir, vender ou expor à venda, distribuir, publicar ou divulgar, por qualquer meio – inclusive por meio de comunicação de massa ou sistema de informática ou telemática -, fotografia, vídeo ou outro registro audiovisual que contenha cena de estupro ou de estupro de vulnerável ou que faça apologia ou induza a sua prática, ou, sem o consentimento da vítima, cena de sexo, nudez ou pornografia”.

Agora, Neymar esta sendo investigado pela Polícia Civil do Rio de Janeiro (RJ) por ter divulgado fotos íntimas da mulher que o denunciou por estupro. De acordo com o jornal “Extra”, as autoridades teriam ido à Granja Comary, em Teresópolis, na Região Serrana do Rio – onde ele estava concentrado pela Seleção Brasileira – neste domingo, 2, mas nenhuma informação a respeito do assunto foi revelada.

Caso seja condenado, Neymar poderá pegar pena de um a cinco anos de prisão.