Tempo Estimado de Leitura: 3 minutos
Facilmente encontrados pelas ruas das grandes cidades e pela internet os elásticos coloridos têm se tornado uma dor de cabeça para os profissionais da área da saúde.
Nós já havíamos comentado aqui no Ligação Teen, sobre os males que o uso de aparelhos dentários falsos podem causar para os adolescentes, e nesta matéria o Ortodontista e vice presidente da Uniodonto de SP – Dr. Eduardo Ulian, faz um alerta, mostrando algumas curiosidades do que pode acontecer ao usar não só aparelhos falsos, como usar piercing na boca, algo muito comum com a galera alternativa. Ele comenta que em casos mais severos o uso do piercing pode evoluir para um câncer bucal e no caso de uso irregular de aparelhos o usuário pode perder os dentes.
O Crosp (Conselho Regional de Odontologia de São Paulo) tenta coibir o comércio ilegal, com várias blitze e apreensões do falso material.

Curiosidades

Piercing na cavidade bucal.

É qualquer tipo de piercing que pode ser colocado na língua, nos lábios ou nas bochechas. Os piercings colocados na orelha e nariz não envolvem riscos tão grandes quanto aqueles colocados na boca (língua, lábio, bochechas).

São inúmeros os riscos e efeitos colaterais que um piercing oral oferece. São eles:

  • infecção: a boca tem milhões de bactérias que podem causar uma infecção após a colocação do piercing;
  • sangramento prolongado: caso um vaso seja perfurado ou rompido durante a colocação;
  • dor e inchaço: são sintomas comuns após a instalação do piercing. Em casos mais sérios, se a língua inchar demais, pode fechar a passagem de ar e dificultar a respiração;
  • dentes quebrados: este tipo de trauma é comum para quem usa piercing oral;
  • ferimentos na bochecha, gengiva e língua: traumas constantes podem evoluir para lesões cancerígenas;
  • doenças transmissíveis pelo sangue: o piercing oral foi identificado pelo Instituto Nacional de Saúde como possível foco de transmissão de hepatite B, C e D;
  • endocardite: a ferida causada pela perfuração dá às bactérias da boca, principalmente a streptococus mutans, a oportunidade de entrar na corrente sanguínea e atingir a musculatura cardíaca;
  • interferência com as funções bucais: os piercings orais dificultam a mastigação e a dicção

Conclui-se que, devido aos riscos envolvidos, mesmo depois que a ferida cicatrize, a melhor coisa é não fazer um piercing oral. Caso você opte por usar, não deixe de consultar um dentista periodicamente

Piercing-na-lingua-fotos-cuidados-e-cicatrização2_470x280

 Aparelho ortodôntico irregular

Os jovens que aderem a essa moda para “dar destaque ao sorriso”, não imaginam o risco que estão correndo. A aplicação e uso de aparelhos ortodônticos sem acompanhamento de um ortodontista pode causar problemas de mastigação, reação alérgica, perda óssea, movimentos dentários desnecessários e até mesmo a perda dos dentes.

Os elásticos, fios e brackets, são vendidos livremente nas ruas e nas redes sociais como acessórios de moda. Os danos podem ser irreversíveis ou de difícil reparação. Os jovens que colocam os acessórios por conta própria, ou que mantém o aparelho após um tratamento para personalizá-lo, correm o risco de desenvolver cáries e comprometer a saúde bucal.

Esses “acessórios” não tem procedência, não existe biossegurança.

Só quem pode indicar o uso de aparelho ortodôntico é o dentista. E quem usa aparelho sabe que é preciso ter alguns cuidados especiais com os dentes para não ter problemas futuros.