Estima-se que 99% das mulheres que possuem câncer de colo do útero foram infectadas pelo vírus

Falar de HPV ainda é um tabu para muitas famílias. Trata-se de uma doença sexualmente transmissível, de difícil cura, causada pelo papiloma vírus e responsável pelo câncer de colo de útero. A prevenção tem início ainda na fase infantil, mas por causa do preconceito e falta de informação, muitos pais decidem não vacinar.

No primeiro contato sexual uma em cada 10 mulheres chega a entrar em contato com o vírus. São mais de 200 tipos de HPV existentes, e até hoje, 150 deles já foram identificados e sequenciados geneticamente. Os homens também podem contrair o HPV.

Os sintomas são o aparecimento de verrugas na região genital, após a relação sexual com um parceiro infectado, e que comprometem muito a qualidade de vida.

A doença pode ser detectada através de dois tipos de exames: o teste genético PCR e o teste de captura híbrida. Ambos podem trazer informações como o tipo, a carga viral ou até marcar se esse HPV é ou não oncogênico, ou seja, se pode evoluir para um câncer.

Vale ressaltar que o HPV pode ser controlado, mas ainda não há cura contra o vírus. Se não for tratado, pode evoluir para o câncer de colo do útero. Estima-se que 99% das mulheres que possuem câncer de colo do útero foram infectadas por esse vírus.

Por isso, nós, médicos, chamamos a atenção para a prevenção, há vacinas bivalentes e quadrivalente. Ambas protegem contra o câncer de colo de útero e a quadrivalente tem a proteção adicional contra as verrugas. A imunização está disponível há mais de 10 anos nas redes pública e privada”, explica Dra. Ana Paula Moschione Castro, diretora da Clínica Croce, especializada no diagnóstico e tratamento nas áreas de Alergia, Imunologia, Endocrinologia, Endocrinologia Pediátrica, Otorrinolaringologia e Reumatologia.

As crianças já podem se prevenir fazendo essa imunização a partir dos 09 anos de idade, sendo que a eficácia é maior naqueles indivíduos que ainda não tiveram contato com o HPV. A imunização se dá em três doses, a partir dos nove anos.

Vacina HPV Bivalente: dos 9 aos 45 anos, para homens e mulheres.

Vacina quadrivalente

Masculino: dos 9 anos aos 25 anos

Feminino: dos 9 aos 45 anos

“A prevenção de doenças não pode ser prejudicada por causa de preconceito. Consulte o pediatra e tire as dúvidas com ele”, ressalta Dra. Ana Paula.

DEIXE SEU COMENTÁRIO