Entre os suplementos alimentares, o Whey Protein se firmou como líder absoluto da preferência dos brasileiros. Produzido a partir da proteína do soro do leite, ele é encontrado em diversas fórmulas que podem causar confusão na hora da escolha. Para facilitar a tomada de decisão, o pessoal do site de venda online Espartanos selecionou os produtos nacionais mais populares para ilustrar as principais diferenças entre as opções concentrada, isolada e hidrolisada.

Com quantidades semelhantes de proteína presentes nas doses de 30 g, a principal diferença entre os tipos de Whey está nos valores de carboidratos, gorduras saturadas e sódio – e no preço, claro.

A concentrada passa por uma filtragem simples, o que mantém a proteína quase intacta, além de resultar em maior presença de gordura saturada, lactose, sódio e carboidratos. A isolada, por sua vez, destaca a proteína e reduz a quantidade de outras substâncias – as gorduras são eliminadas. Por último, a hidrolisada sofre uma espécie de “pré-digestão” química, e o organismo a processa de forma extremamente rápida.

Como Escolher Whey

A complexidade da produção se reflete nos preços: a concentrada sempre é mais barata. “Em geral, o efeito dos três tipos é semelhante”, conta Otavio Felice, fundador do Espartanos. “Mas há casos específicos, como intolerância à lactose, em que isolada e hidrolisada são mais recomendadas”, diz ele.

Felice explica que, além do tipo do Whey, é importante prestar atenção na qualidade do produto. O concentrado, por exemplo, pode ter entre 20% e 80% de presença da proteína. “O ideal é que tenha entre 50% e 80%. Abaixo disso, ele se torna um hipercalórico”, conta. O hidrolisado, por outro lado, é muito caro e, por isso, costuma ser encontrado misturado às outras duas formas. “Quando optar por esta opção, o consumidor deve checar a porcentagem do hidrolisado presente, para avaliar se vale a pena”, afirma o fundador.

Fonte: www.espartanos.com.br